Loading...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Poesia Infeliz!

Poesia Infeliz!



(Edson Filho)


Madrasta irritante!


Que berra todos os dias aos meus ouvidos,


E me ordena a todo instante,


A lembrança, aos gritos!






A minha labuta agonizante,


De construí-la e reconstruí-la,


Perfeita e inquietante!


Numa inspiração sublimada


Para criá-la texto, verso e rima arfante,


Com imagem, cheiro, lira e pantomima!






Perdido entre as palavras oníricas,


Como um mendigo fedido,


Esmolando em terras desconhecidas,


Vejo pingando centavo por centavo caído,


Na cuia dos pensamentos,


Versos soltos, incultos, absurdos e inconclusos.






Na ponta da caneta, desce suor, escorre sangue e desespero.


Nesta árdua tarefa de fecundá-la, tornando-se fonte de meus tormentos.


Poesia que nada! Meretriz traiçoeira! Amante infeliz!






Que me obriga a mergulhar nos meus sofrimentos,


E me torna essa máquina motriz de construir textos em rima sem fim!

4 comentários:

  1. que sua peregrinação prossiga através dos textos, dando-nos lucidez. obrigado. abraços lamarque

    ResponderExcluir
  2. Lamarque, obrigado pela visita e comentário! Um ano de 2012 repleto de realizações para você. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Tudo o que vivemos tem um sentido ...
    O importante é vivermos e tentar o melhor caminho .
    Vamos andar por aqui com carinho e amor .
    luisaeadriano

    ResponderExcluir
  4. Interessante esta poesia de rima madrasta,cansativa e esforçada mas... valeu a pena porque, a palavra, nunca engana ninguem.
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir