Loading...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A revolução em mim!



A revolução em mim!


              Descobri que nada fiz. Hoje, quando acordei e me olhei no espelho, vi apenas uma sombra, o resto de mim.

              E lembrei de ontem, que pensava ter dito e feito tudo...
              Quando nasci, já nasci revolucionário, não chorei, gritei, gritei para anunciar ao mundo a minha chegada. Porque já não admitia o choro submisso e oprimido do recém-nascido.

              Revolucionei!

              Despertada a adolescência, briguei, fiz passeatas, me juntei aos movimentos, todos! E protestei, apanhei, bati, fui preso, fui solto, lutei!

              Fiz valer os meus direitos para que direitos iguais fossem estendidos aos meus companheiros e aos lerdos cidadãos desta nação.
              Adoeci, hospitalizado, nocauteado pela frágil condição de ser humano, parei e fiquei, pela primeira vez, refém da implacável fragilidade física do homem. Foi então que descobri quantos amigos havia conquistado, o quanto deixei de olhar por mim, quantas pessoas queridas havia magoado, o quanto tinha sido intolerante e arrogante, quanta estupidez cometi.

              Porque não parei, não refletir, não conjeturei, agi por impulso, e, durante todo esse tempo, jamais havia olhado para dentro de mim.

              Esqueci, que toda revolução, deveria ter começado em mim!


Edson Filho

domingo, 29 de agosto de 2010

PARA TI...

Para ti...

Meu espírito mais leve,

Parece flutuar dentro de mim.

Nestas palavras breves...

Que te escrevi.

Saudade é dor demais

Para se sentir,

Mas que também serve

Para dividir,

Mesmo que por folhas de papéis,

Rabiscadas em tintas azuis-celestes;

Que do fundo da alma de um moribundo transcreve,

Palavras tiradas de uma canção em forma de “blues”.

Edson Filho

Em, 20/08/10 (À Carol Lourenço –Goiandira- Goiás)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Desejo profundo


Desejo profundo

Hoje, acordei sonhando que minhas mãos corria sua pele negra e macia,

Meu espírito todo vibrava por tua atenção, um único olhar teu em minha direção...

Senti o vento trazer teus cabelos para acariciar meu rosto suado de desejoso de ti,

Tua camisola de transparência provocadora, não escondia as curvas que deliravam nos meus pensamentos. Tu estavás lá, deitada na alcova dos meus desejos secretos, como uma princesa aguardando ser possuida pelo seu príncipe.

Eu sempre imaginei possuir uma mulher como você, cheia de desejos, cheia de sonhos e que traz na pele e no olhar um ardente calor em busca de prazer.

Que no ninho feito pela lasciva do nosso amor, se deixa embriagar pelo que vivemos ali, como se o mundo inteiro deixasse de exitir, como se ele fosse feito só pra nós dois...

Um mundo inteiro contemplando nosso amor, nossas carnes fervilhando, nos banhando numa cachoeira de prazer e suor onde nada é pecado, não há limites, tudo é permitido entre nós, na busca insaciável por nossa nirvana, que só poderá ser alcançada pelo prazer extremo.

Tua carne, tua boca, tua vergonha é todo o alimento que sacia minha fome, tu és o único sonho que quero sonhar. Percorro palmo a palmo, cuidadosamente, cada centímetro do teu corpo, cada pelo, cada gota de suor,cada suspiro, buscando sempre teu olhar carnal, teus suspiros e gemidos são as músicas mais deliciosas que chegam aos meus ouvidos.

Às vezes, até urramos juntos como dois animais selvagens, saciando nosso cío nessa alcova dos prazeres, que contigo, parecem eternos e inexoráveis, que não tenha fim, então!

De repente, um barulho familiar soa em meus ouvidos, trim! trim! trim! trim... Droga, meu despertador! Me tirou da fantasia que me fazia delirar...e fez acordar...O dia começou novamente, depois do prazer, o dia será só angustia.... até um novo luar...Arffff!

Edson Filho

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Tua ausência...


Tua ausência...

Um sorriso jogado ao céu, chega até aqui;

um abraço no vento, me faz sentir;

um beijo jogado no horizonte, o vento traz pra mim;

uma palavra falada no silêncio dos seus pensamentos;

consigo ouvir como se estivesse perto de mim;

um olhar perdido, eu consigo guiar em minha direção;

mas o que não dá para suportar é sentir essa ausência,

esse vazio,

essa saudade de tudo que vem de ti...

tudo!

Edson Filho

A caminho de mim...


A caminho de mim...

Acho que vou caminhar por estradas mais calmas, seguindo os passos da minha sombra,

vou escutar os ventos que sopram os ares da reflexão e lançar um olhar curioso para a montanha que vem se aproximando,

para fazer parte do meu novo caminhar...

As estradas estranhas que seguirei ainda não possuem chão firme no campo dos meus pensamentos...

Por isso, amanhã preciso estar só e escutar o som barulhento das minhas reflexões...

Eu não me entendo, e isso me obriga sempre a me reinventar...

Edson Filho